Voice of the Oceans

EDUCAÇÃO

ETAPAS DAS JORNADAS EDUCATIVAS

  • Mapeamento dos cenários locais em terra, alinhados com os pontos de parada da Expedição.
  • Levantamento de escolas, ONGs e parceiros locais, identificando fragilidades e trazendo soluções: Núcleos locais Voz dos Oceanos.
  • Criação dos materiais educativos e gamificação.
  • Oficinas de formação: estudos sobre oceanos, resíduos e sustentabilidade.
  • Radio e TV Voz dos Oceanos (web) para divulgação de notícias da expedição e das ações em terra.
  • Proposta de inclusão transversal e transdisciplinar da temática no currículo escola

OBJETIVOS DAS JORNADAS EDUCATIVAS

Gerar impacto e transformação social

Os resultados serão medidos por meio de um documento de balanço final:
Implementação e impacto das ações de educação, inserção do tema nos projetos políticos pedagógicos e fortalecimento dos núcleos locais (formados por escolas, ONGs e parceiros)
Avanços nas soluções para os problemas inicialmente mapeados, boas práticas e sustentabilidade pós-jornada.

OBJETIVOS DAS JORNADAS EDUCATIVAS

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA AS EMPRESAS

Empresas que declaram lucro real, podem ser engajadas no projeto Educação pelos Oceanos, lançando doações como despesas operacionais até o limite de 2% do seu lucro operacional bruto.

Nosso compromisso com o meio ambiente

Em todas as nossas ações serão priorizados materiais sustentáveis, reuso/upcycling e que gerem o mínimo de descarte.

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA AS EMPRESAS

SOBRE OS PARCEIROS


Planeja e viabiliza projetos socioambientais, contribuindo para a criação de vínculos e para o fortalecimento de outras organizações.

Atua como facilitador de ações de empresas e marcas no Terceiro Setor, prestando consultoria para projetos diversos.

Proporciona crescimento para pessoas, famílias e comunidades em situação de vulnerabilidade social.

 


O Instituto Supereco é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), fundada em 1994, com renomada atuação nos vários campos da educação, comunicação, conservação e sustentabilidade.

Aplica a metodologia “learning by doing” (aprender-fazendo) para formar grupos de multiplicadores – gestores, docentes, alunos, líderes de governo, ONGs parceiras, cooperativas, redes e de comunidades locais.